Logo Hemosc

COMO DOAR

DOAÇÃO DE SANGUE TOTAL

COVID 19

Em tempos de Coronavírus a seleção de candidatos à doação de sangue fica ainda mais criteriosa.

Saiba quem não pode doar:

  • Pessoas que tenham se deslocado ou que sejam procedentes de países com casos confirmados de infecções pelo SARS-CoV-2 - inaptas para a doação por 14 dias após o retorno destes países;
  • Pessoas que foram infectadas pelos vírus SARS-CoV-2 após diagnóstico clínico e/ou laboratorial - inaptas pelo um período de 30 dias após a completa recuperação (assintomáticas e sem sequelas que contraindiquem a doação);
  • Aqueles que tiveram contato nos últimos 30 dias com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico e/ou laboratorial de infecções pelo vírus SARS-CoV-2 - inaptos pelo período de 14 dias após o último contato com essas pessoas;
  • Pessoas que permaneceram em isolamento voluntário ou indicado por equipe médica devido a sintomas de possível infecção pelo SARS-CoV-2 - inaptas pelo período que durar o isolamento (no mínimo 14 dias) se estiverem assintomáticos.

Conheça as outras informações de rotina no item "não pode doar" disposto abaixo.

O que é?

A doação é a retirada de aproximadamente 450 mL de sangue, através de inserção de uma agulha em um dos braços.
A coleta é feita por pessoal capacitado e sob supervisão de um médico ou enfermeiro, garantindo o bem estar do doador.
O ambiente deve ser limpo e confortável e o material descartável. Todo o processo da doação de sangue levam em torno de 55 minutos.
Doar sangue não dói, nem prejudica a sua saúde.

Por que doar sangue?

O sangue é um tecido vivo que circula pelo corpo, essencial à vida.
Todos os dias acontecem centenas de acidentes, cirurgias e queimaduras violentas que exigem transfusão, assim como os portadores de hemofilia, leucemia e anemias.
Além disso, doar sangue é um ato simples, tranquilo e seguro que não provoca risco ou prejuízo à saúde. Se cada pessoa saudável doasse sangue espontaneamente pelo menos duas vezes ao ano, os Hemocentros teriam Hemocomponentes suficiente para atender toda população. O sangue não tem substituto. Por isso a doação espontânea e periódica é fundamental. Uma única doação de sangue pode salvar várias vidas.
Doar sangue é uma atitude necessária, de solidariedade, cidadania e amor.

Lembre-se:

  • Sangue não se fabrica artificialmente;
  • O sangue doado não ultrapassa 10% do volume em circulação no corpo;
  • A quantidade doada é reposta rapidamente;
  • Você só doa novamente se quiser. A doação de sangue não vicia;
  • A doação acontece em ambiente confortável e limpo;
  • O doador é atendido por pessoal capacitado e qualificado para esta função.

Tipos de doação

O doador pode candidatar-se a doação de três formas:

  • Doação Espontânea: feita de modo altruísta, como uma atitude solidária com um único interesse: ajudar o próximo.
  • Doação vinculada: feita vinculada a algum paciente.
  • Doação autóloga: doar para si mesmo.

O que é necessário para doar?

O que é necessário para doar:

  • Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;
  • Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade, são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal;
  • O limite de idade para primeira doação é de 60 anos;
  • O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;
  • Pesar acima de 50 kg (com desconto de vestimentas);
  • Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG., carteira profissional, carteira de motorista, etc.
  • Ter repousado bem na noite antes da doação;
  • Evitar o jejum. Fazer refeições leves e não gordurosas, nas 4 horas que antecedem a doação;
  • Evitar uso de bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas;
  • Evitar vir acompanhado com crianças, sem acompanhantes.

Após a Doação?

  • Não fumar por no mínimo duas horas;
  • Nas 12 horas após a doação, não praticar exercícios físicos e atividades perigosas, como subir em locais altos ou dirigir caminhão, ônibus em rodovias, etc.
  • Permanecer no serviço hemoterápico após a doação por 15 minutos;
  • Não dobrar o braço em que foi realizada a punção no dia da doação, para evitar sangramentos e hematomas;
  • Retirar o curativo 4 horas após a doação.

Intervalos entre as doações:

  • Mulheres: Período de 90 dias/ 03 doações nos últimos 12 meses;
  • Homens: Período de 60 dias/ 04 doações nos últimos 12 meses.

Não pode doar:

Quem tem ou teve as seguintes doenças:

  • Hepatite após os 11 anos de idade;
  • Lepra (Hanseníase);
  • Hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto;
  • Doença auto-imune;
  • Doença de Chagas;
  • AIDS;
  • Problemas cardíacos (necessita avaliação e declaração do seu cardiologista);
  • Diabetes;
  • Câncer.

Outras situações:

  • Fez ou faz uso de algumas drogas ilícitas nos últimos 12 meses;
  • Mantém relações sexuais de risco;
  • Gestantes ou mulheres que amamentam bebês com menos de 12 meses;
  • Teve contato sexual com parceiro ocasional/eventual nos últimos 12 meses.

Devem aguardar para doar sangue:

Quem tem ou teve as seguintes doenças:

  • Quem fez algum tipo de procedimento dentário - de 1 a 30 dias (de acordo com o procedimento);
  • Quem recebeu transfusão de sangue e ou parceiros (as) de pacientes que receberam sangue ou fazem hemodiálise – 1 ano;
  • Tatuagem, micropigmentação, maquiagem definitiva e piercing - de 6 meses à 1 ano (passará por avaliação);
  • Piercing em cavidade oral ou região genital - 1 ano após a retirada
  • Tiver algum desses sintomas (gripe, tosse, dor de garganta, rinite, febre, resfriado) – 7 dias após a cura;
  • Diarreia – 1 semana após último episódio;
  • Tiver alguma infecção não tratada ou em tratamento – 15 dias após cura;
  • Herpes labial – após a cicatrização total da lesão;
  • Aborto ou parto normal – 3 meses;
  • Cesárea – 6 meses;
  • Amamentação – liberado quando a criança tiver 1 ano;
  • Cirurgia – pode variar de 1 à 12 meses;
  • Doenças em geral - passará por avaliação na triagem;
  • Vacinação:
  • - Brucelose, Cólera, Coqueluche, Difteria, Febre tifóide, Hemophillus influenzae, Hepatite A, Hepatite B recombinate, HPV, Influenza H1N1, Leptospirose, Meningite, Peste, Pneumoco, Pólio (Salk) e Tétano – 48 horas;
    - BCG, Caxumba, Febre amarela, Influenza, Pólio oral (Sabin), Rubéola, Sarampo, Varicela e Varíola – 4 semanas;
    - Raiva após exposição com animal – 1 ano;
  • Quem fizer uso de medicações (trazer sempre o nome de qualquer medicamento que tenha feito uso);
  • Antibiótico: apto após 15 dias do uso e com cura da infecção;
  • Quem teve convulsão só poderá doar sangue após 3 anos da última crise e término do tratamento medicamentoso.
  • Coronavírus - Pessoas que estiveram em viagem ao exterior nos últimos 14 dias.
  • Aqueles que tiveram contato com outras pessoas com diagnóstico clínico ou laboratorial de COVID19.
  • Pessoas que permaneceram em isolamento voluntário ou indicado por equipe médica devido a sintomas de possível infecção pelo SARS-CoV-2.

Orientações preliminares ao doador de sangue:

  • Antes da doação você passará por um processo de pré - triagem (verificação de sinais vitais) e uma entrevista individual;
  • Se você estiver com algum problema de saúde ou apresentando sintomas como perda de peso, manchas na pele, caroços pelo corpo (ínguas), feridas na boca, não doe sangue e procure um médico;
  • Se o motivo que o levou a procurar nosso serviço é fazer exames, avise o profissional da entrevista. Você não deve doar sangue para esse fim. Basta procurar pelos Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) mais próximo, nestes locais os exames são gratuitos, os resultados são mais rápidos e não necessita solicitação do médico para realização:

Florianópolis: Av. Rio Branco, 90 – Centro – Telefone: (48) 3952-0107 – Policlínica;

São José: Praça Arnoldo de Souza – Centro Histórico - Fone: (48) 3357 – 6940 - Posto de Saúde;

Campinas: Av. Govenador Jorge Lacerda, 193 - Campinas, - SC, 88101-420 - Telefone (48) 3241-3536;

Barreiros: R. Antônio Schroeder, 88110-401 - Telefone: (48) 3288-4392;

Forquilhinhas: R. Ver. Arthur Manoel Mariano, 1439, 88106-501 - Telefone (48) 3211-7802;

Palhoça: Rua 31 de março – Ponte do Imaruim – Telefone: (48) 3047-5549 - Posto de Saúde;

Biguaçu: Rua Emídio Amorim Veríssimo, 114 – Rio Caveiras – Telefone: (48) 3039-8452.

Videira: Vigilância Epidemiológica – Programa DST/HIV/AIDS e HV – Rua Antônio Ferlin nº 550 – Bairro São Cristóvão – Telefone: (49) 3533-7574;

Jaraguá do Sul: Rua Jorge Czerniewicz, nº 800 - Centro - Telefone: (47) 2106-8300 - Centro de Testagem e Aconselhamento;

Treze Tílias: Unidade Sanitária – Rua Antônio Carlos Konder Reis – Telefone: (49) 3537-0141;

Tangará: Posto de Saúde – Rua Maria de Lurdes Picoli Pizzani, nº105 – Telefone: (49) 3532-1217;

Piratuba: Unidade Sanitária Piratuba – Avenida Dezoito de Fevereiro nº 309 – Telefone: 3553-0212;

Ouro: Unidade de Saúde Ouro – Rua Gov. Jorge Lacerda, nº1209 – Telefone: 3555-5275;

Joaçaba: CTA – Avenida XV de Novembro, nº223 – Telefone: 3521-1555;

Fraiburgo: Programa DST/HIV/AIDS/HV – Rua Vito Pizzeta, nº 77 – Telefone: 3256-4000;

Concórdia: Unidade Sanitária (SAE) – Osvaldo Zandavalli, 162 – Telefone: 3442-2387;

Catanduvas: ESF I – Central – Rua Duque de Caxias, nº 275 – Telefone: 3525-1281;

Curitibanos: Posto de Saúde e Atendimento Eugênio Cavalli – Ambulatório DST e AIDS – Rua Maximiliano de Moraes, nº376 – Telefone: 3245-0789;

Capinzal: Unidade Central – Rua Ernesto Hachmann, nº 435 – Telefone: 3555- 8787;

Campos Novos: PAM – Rua Nereu Ramos, nº 333 – Telefone: 3541-0205;

Caçador: Vigilância Epidemiológica – Rua José Bonifácio, nº 263 – Telefone: 3563-0736;

Lages: Unidade Básica de Saúde Caça e Tiro – Rua Cirilo Vieira Ramos – Bom Jesus. Telefone: 3251-7950;

Lages: Unidade Básica de Saúde Centenário – Rua Visc. de Cairú, S/N. Telefone: (49) 3251-7951;

Lages: Unidade Básica de Saúde Centro – Rua James Robert Amós, S/N. Telefone: (49) 3251-7913;

Lages: Unidade Básica de Saúde Copacabana – Rua Presidente Kenedy, 632.= Telefone: 3251-7963;

Lages: Unidade Básica de Saúde Coral – Rua Campos Sales, 22.Telefone:3251-7940;

Lages: Unidade Básica de Saúde Frei Rogério – Rua João José Godinho, 1868.Telefone:3251-7952;

Lages: Unidade Básica de Saúde Gethal – Rua Pedro Gaspar Fernandes, 139.Telefone: 3251-7932;

Lages: Unidade Básica de Saúde Guarujá – Rua Vera Cruz, 15.Telefone: 3251-7937;

Lages: Unidade Básica de Saúde Habitação – Rua do Guaviju, S/N. Telefone: 3251-7935;

Lages: Unidade Básica de Saúde Penha – Rua Nossa Senhora da Penha, 398.Telefone: 3251-7933;

Lages: Unidade Básica de Saúde Petrópolis – Rua Joinville, 200 .Telefone: 3251-7933;

Lages: Unidade Básica de Saúde Popular – Rua Sebastião Ataíde, S/N. Telefone: 3251-7942;

Lages: Unidade Básica de Saúde Pró-Morar – Rua Engenheiro Paulo Ribeiro, 1045. Telefone: 3251-7964;

Lages: Unidade Básica de Saúde Sagrado/São Cristóvão – Rua Maranhão, S/N. Telefone: 3251-7968;

Lages: Unidade Básica de Saúde Santa Catarina – Rua Max Rogerio Azevedo, 600. Telefone: 3251-7961;

Lages: Unidade Básica de Saúde Santa Helena – Avenida Caldas Júnior, 475.Telefone: 3251-7967;

Lages: Unidade Básica de Saúde Santa Mônica –Rua Esporte Clube Palmeiras, 337. Telefone:3251-7945;

Lages: Unidade Básica de Saúde São Carlos –Rua Hercílio Batista de Oliveira, 129, Bairro Maria Luiza. Telefone: 3251-7973;

Lages: Unidade Básica de Saúde São Francisco – Rua Haeckel de Tavares, 88. Telefone: 3251-7947;

Lages: Unidade Básica de Saúde São José – Avenida II Batalhão Ferroviário, 363, Bairro Conta Dinheiro. Telefone: 3251-7939;

Lages: Unidade Básica de Saúde São Miguel – Rua Bernardo Gonçalves Kuster, 750. Telefone: 3251-7934;

Lages: Unidade Básica de Saúde São Pedro – Rua João Maria Faustino dos Santos, 81.Telefone: (49) 3251-7960;

Lages: Unidade Básica de Saúde Tributo – Rua Ábramo Baú, 520.Telefone: 3251-7936;

Lages: Unidade Básica de Saúde Universitário – Rua Marechal Gama D' Eça, 47.Telefone: 3251-7949;

Lages: Unidade Básica de Saúde Várzea – Rua Farias de Brito, 410.Telefone: 3251-7938;

Lages: Unidade Básica de Saúde Vila Mariza – Rua Jaci Elias Andrade, 165.Telefone: 3251-7941;

Lages: Unidade Básica de Saúde Vila Nova – Rua Anísio Mortari, 90.Telefone: 3251-7946;

Lages: Vigilância Epidemiológica – Praça Leoberto Leal, 20, Centro. Telefone: 3251-7636 ;

Chapecó: Serviço de Atendimento Especializado HDIA HIV AIDS (SAE)- Rua Borges De Medeiros, 50, Bairro Maria Goretti. Telefone: (49) 3331-2514 ;

Blumenau: Centro de Aconselhamento e Testagem (CTA) - Rua Paraíba, 380 – Victor Konder. Telefone: 3381.6166;

Joinville: Centro de Aconselhamento e Testagem (CTA) - Rua Abdon Batista, nº 172 – Centro. Telefone: 3417-1386;

Joinville: Laboratório Popular – Rua Mario Lobo, 211. Telefone: 3027-7888;

  • Se você for considerado apto para doar serão coletados cerca de 450ml do seu sangue, além da bolsa serão coletadas amostras de sangue para exames.
  • Você realizará a higienização dos braços, com um produto chamado clorexidina, caso você seja alérgico, favor comunicar;
  • O material utilizado para coleta é estéril e descartável, sendo assim, não existe risco nenhum de contrair doenças infecciosas na doação;
  • Serão realizados exames para Hepatite B e C. Sífilis, Doença de Chagas, HIV, HTLV I e II, Tipagem sanguínea e fator RH, pesquisa de anticorpos irregulares.
  • Existem, no entanto, doenças que podem ser transmitidas pelo sangue a quem for recebê-lo, para os quais não são feitos exames, por isso a importância de comunicar qualquer tipo de doença;
  • Mesmo para os exames que são realizados, existe uma chance de dar resultado falso-negativo, ou seja a pessoa tem a doença, ou vírus, e o exame não consegue detectar por um período, logo após a pessoa contrair, chamado de janela imunológica. Por isso, a sinceridade do doador na entrevista é a maior segurança para quem vai receber o sangue;
  • Caso apresente alguma alteração, você será chamado para confirmação de exames (via correio) e receberá orientações da equipe de apoio ao doador de nosso serviço; podem ocorrer resultados duvidosos (inconclusivos), sem que, necessariamente, signifiquem doenças, que serão posteriormente reanalisados;
  • Os resultados positivos para HIV, Hepatite B e C, HTLV I e II, Sífilis e Chagas serão informados à Vigilância Epidemiológica;
  • Você também poderá ser chamado se o paciente que receber o seu sangue apresentar algum problema;
  • Geralmente os doadores não apresentam problemas durante a doação, mas algumas pessoas podem sentir-se mal. Neste caso, diante de qualquer anormalidade avise o profissional que o está atendendo que ele procederá os cuidados necessários para sua pronta recuperação;
  • Apesar de todos os cuidados alguns doadores podem sentir tonturas durante o dia da doação e há o risco de surgir hematomas e dor no local da punção;
  • Você tem o direito de desistir da doação caso não se sinta seguro e não deve doar se considerar que seu sangue pode causar algum problema para quem for recebê-lo;
  • Esclareça todas as suas dúvidas durante a entrevista.

Etapas da doação

1º Passo – Recepção e cadastro

  • Apresentação de documento expedido por órgão oficial com foto (RG, CNH, Carteira de Trabalho, etc)
  • Atualização de endereço, trabalho, etc.

2° Passo – Pré-triagem

  • Peso, altura, verificação de pressão arterial, pulso e temperatura;
  • Uma "picadinha" no dedo para verificar seu hematócrito e/ ou hemoglobina;

3° Passo – Entrevista clínica

  • É confidencial e o sigilo é absoluto – confie em seu entrevistador e seja sincero;
  • Você assinará um Termo de Consentimento onde refere ter entendido as informações recebidas, ter respondido com sinceridade ao questionário, concorda com a coleta de sangue e afirma que está ciente de que se houver resultados sorológicos alterados, será chamado pelo serviço de apoio ao doador;

4º Passo – Coleta de sangue

  • Será realizada a coleta de 450 ml ± 45ml e amostras de sangue para exames obrigatórios por lei;

5º Passo – Lanche

  • É fornecido lanche acompanhado por líquidos, para repor o volume retirado na doação. Em casa ou no trabalho continue ingerindo bastante líquido.

Observe o que acontece com o sangue doado

Após a coleta, o sangue é separado em seus componentes dentro de 6 a 8 horas, no setor de processamento;

Cada componentes do sangue tem uma finalidade:

  • 1- Glóbulos vermelhos – servem para tratar anemias;
  • 2- Plasma (parte líquida do sangue) – serve para tratar hemorragias. Parte do plasma é encaminhado para indústrias que produzem fatores de coagulação, utilizados para tratar hemofílicos;
  • 3 – Plaquetas – servem para tratar ou evitar sangramentos, e em pessoas que fazem quimioterapia.

Processamento e Distribuição

Este setor realiza a separação do sangue em seus componentes para transfusão.
As bolsas coletadas são colocadas numa centrífuga que gira em uma determinada rotação por um período necessário para que o sangue seja separado por densidade e posteriormente fracionado, inicialmente em duas partes: a sólida e a líquida.
Os pacientes recebem somente a parte do sangue (hemocomponentes) que necessitam.

Alguns exemplos: As pessoas com grandes queimaduras precisam de Plasma;
Os hemofílicos, pessoas que tem problemas de coagulação, necessitam de Plasma ou Crioprecipitado;
Os portadores de anemias ou que tiveram hemorragias, recebem Concentrado de Hemácias;

Os portadores de leucemia necessitam de Plaquetas.
Estoque de Hemocomponentes
Após a conclusão e liberação dos exames sorológicos e imunohematológicos, os componentes do sangue são disponibilizados para o estoque. No estoque, que localiza-se no HEMOSC ou hospitais conveniados, os hemocomponentes são armazenados adequadamente, de acordo com a sua classificação e prazo de validade.
Validade dos Hemocomponentes
Concentrado de Hemácias: 35 a 42 dias (temperatura de 2 a 6°C);
Concentrado de Plaquetas: 5 dias (temperatura de 20 a 24°C);
Plasma: 12 meses (temperatura inferior a -20°C);
Crioprecipitado: 12 meses (temperatura inferior a -20°C).
Simultaneamente ao processamento, amostras de sangue são encaminhadas aos laboratórios do hemocentro a fim de serem submetidas aos exames sorológicos e imuno-hematológicos. Os exames atestam a qualidade do sangue e classificam os grupos sanguíneos.

Quando se tratar de doação vinculada a um paciente, é necessário que o paciente tenha o cadastro no HEMOSC para possibilitar o vínculo da doação. Para cadastrar é necessário que ele mesmo, parentes ou pessoa autorizada, por telefone ou pessoalmente, faça o cadastro do paciente com as seguintes informações em mãos: Nº RG e órgão expedidor, CPF, nome completo, data nascimento, naturalidade, escolaridade, ocupação, e-mail, formação, nome pai, mãe e cônjuge se houver, endereço residencial, fones para contato, hospital em que será ou está internado, tipo de procedimento a ser realizada (Cirurgia, transfusão, etc.).