PERGUNTAS
 

PERGUNTAS FREQUENTES


A hipoglicemia impede a doação?

Não, desde que o candidato esteja sem sintomas e não esteja em jejum no dia da doação.


Até que idade se pode doar sangue?

A atual legislação brasileira permite que se doe sangue até os 69 anos, 11 meses e 29 dias, porém a primeira doação deve ser feita até 60 anos, 11 meses e 29 dias. Este limite visa proteger a saúde do doador.

No caso de doação autóloga (doar para você mesmo) não há limite de idade.


Como se pega Hepatite? Quais são os sintomas?

Há vários tipos de hepatite virais. A chamada Hepatite tipo A, transmite através de contaminação de águas, alimentos e por contato fecal-oral. A Hepatite B, é por contaminação sexual e parenteral, ou seja, agulhas e equipamentos contendo sangue contaminado ou de mãe para o feto. A Hepatite C é de contaminação predominantemente parenteral (ex: contato com o sangue de outra pessoa), porém outras vias podem estar envolvidas, como a sexual e da mãe para o feto. As demais hepatites, são raras.


Devem aguardar para doar sangue:

Quem fez endoscopia, colonoscopia, retosigmoidoscopia entre outros, nos últimos 6 meses.


Doar sangue é seguro?

Sim, doar sangue é seguro. Não existe nenhum risco de contrair uma doença infecciosa doando sangue. Entretanto, existe um pequeno risco de que o doador possa sentir algum mal-estar durante ou logo após a doação especialmente nas primeiras vezes que ele doar, porém, os serviços se preocupam com isto, observam e cuidam para que os doadores nada sintam ou se sentirem, para que sejam bem assistidos.


É cobrado pelo sangue doado?

De fato, a legislação proibe a comercialização do sangue, contudo, permite ao serviço de hemoterapia solicitar o ressarcimento dos custos envolvidos para tornar o sangue apto à tranfusão, ou seja, compra de materiais e reagentes, fracionamento em seus componentes (plaquetas, plasma, hemácias,etc.), testes laboratoriais, armazenamento, transporte e distribuição.
Nos serviços públicos de saúde ou conveniados com o Sistema Único de Saúde, estes custos são cobertos/ressarcidos pelo SUS.
Quando o sangue é utilizado para pacientes atendidos em regime particular ou saúde suplementar, deve-se solicitar o ressarcimento ao paciente ou plano de saúde respectivamente, de forma a não lesar o Sistema Único de Saúde que financia 85% dos atendimentos do HEMOSC. Mesmo nestes casos, o sangue propriamente dito (material doado) não pode ser cobrado.
Para melhor entendimento, costumamos utilizar uma analogia com o sistema de abastecimento de água. Apesar de a termos disponível gratuitamente na natureza, pagamos os custos de captação, tratamento, testagem (verificação se apta ao consumo humano) e distribuição. Da mesma forma deve ocorrer nos serviços de Hemoterapia.


Existe vacina para malária?

Não, a vacina que é confundida com a malária é a da febre amarela.


Hiper ou hipotireoidismo impedem a doação?

O hipertireoidismo impede a doação. O Hipotireoidismo se não foi causado por Tireoidide de Hashimoto (doença auto-imune), está liberado para doação. Caso o doador não saiba informar, orientamos que traga uma declaração de seu endocrinologista informando que o mesmo não é portador de Tireodite de Hashimoto.


Homens que se relacionam entre si podem doar sangue?

De acordo com a Portaria do Ministério da Saúde n° 158 de 04 de fevereiro de 2016, que no seu artigo 64 define: "Considerar-se-á inapto temporário, por 12 (doze) meses o candidato que tenha sido exposto a qualquer uma das situações abaixo: (...) "IV- homens que tiveram relações sexuais com outros homens e/ou as parceiras sexuais destes;". Este é um dos fatores que inaptam o doador temporatiamente. Podemos citar, por exemplo, o Art. 65. paragrafo § 3º "Qualquer procedimento endoscópico leva a uma inaptidão à doação de sangue por 6 (seis) meses." Portanto, não se trata de ato discriminatório do HEMOSC, mas respeito a este requisito legal.
As legislações sobre doação de sangue utilizadas no Brasil, baseiam-se em grande parte, em consensos internacionais, e que são utilizadas como referência em todo o mundo. Estes consensos se baseiam em amplos estudos epidemiológicos realizados em países como Estados Unidos, Inglaterra, França e Austrália que são referências mundiais em Hemoterapia.
Muitos destes consensos, são adotados em países que são notoriamente reconhecidos por seus governos estarem na vanguarda de ações contra a discriminação de qualquer tipo, como sexo, religião, comportamento sexual, etc e, portanto, elaboram critérios de doação de sangue baseados apenas em estudos epidemiológicos que visam a minimização do risco de alguma doença transmissível por transfusão em pacientes.


Medicação para emagrecer impede a doação?

Em alguns casos, como medicamentos que apresentam na fórmula substâncias como as anfetaminas (Femproporex, Anfepramona) e a Sibutramina que podem acarretar efeitos adversos como a irritabilidade, nervosismo e a taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), dentre outros. Por isso, recomenda-se a interrupção do uso destes medicamentos 07 dias antes da doação.


Medicações para pressão arterial impedem a doação?

Geralmente não, candidatos que estejam tomando anti-hipertensivos de ação central, (Metildopa, Clonidina, Reserpina), os beta-bloqueadores (Propranolol, Atenolol, Oxpernolol ou similares), os bloqueadores alfa-adernérgicos (Prazocin, Minoxidil) e os vasodilatadores (Hidralazina), não podem doar sangue. Não impedem a doação os diuréticos ( Hidroclorotiazida, Clorana, Furosemida), antagonistas da angiotensina II (Losartana), os bloqueadores de canais de Cálcio (Nifedipina) e os inibidores da enzima conversora de angiotensina (Captopril, Enalapril ou similares).


O material usado é mesmo seguro?

Sim, todo o material usado para a coleta de sangue é individual, descartável, apirogênico (não causa febre) e estéril.


O menor de 18 anos pode doar sangue? E se tiver autorização dos pais ou responsável?

O menor de idade, aqueles com 16 e 17 anos, só poderão doar sangue se forem emancipados ou mediante a presença e autorização dos pais e/ou responsável legal.


O que acontece após a doação?

Depois da doação, o candidato é observado por algum tempo, recebe orientações para que evite esforços físicos naquele dia, para que se alimente bem, especialmente ingerindo líquidos, recebe um lanche e é liberado. É orientado a entrar em contato com o Hemocentro se nos 15 dias após a doação, apresentar sintomas como febre, ínguas, gripe ou diarreia (para evitarmos que esse sangue seja transfundido).


O que acontece com o sangue do doador?

O sangue doado, juntamente com as amostras colhidas para exames são encaminhados aos laboratórios. A bolsa de sangue coletada será fracionada (dividida) nos hemocomponentes e ficará aguardando o resultado do voto de auto-exclusão, tipagem sanguínea, pesquisa de anticorpos irregulares e a conclusão dos testes de triagem sorológica (HIV I e II; Hepatite B e C; HTLV I e II; Chagas e Sífilis), somente após o resultado dos exames negativos, é que o sangue será encaminhado para hospitais e clínicas para ser transfundido no paciente.


O que é “janela imunológica”?

Período de tempo compreendido entre a exposição ao agente infeccioso e o aparecimento de positividade em exames laboratoriais específicos para detecção do mesmo. Varia conforme a doença pesquisada e o teste utilizado. Este período varia conforme a sensibilidade dos testes diagnósticos, que têm sido continuamente melhorados. Logicamente, se a doação de sangue ocorrer neste intervalo de tempo, pode haver contaminação dos receptores, pois os teste serão negativos, mesmo se o doador estiver infectado pelo vírus. O doador não deve omitir nenhum fato questionado durante a entrevista, pois do contrário ele será considerado apto e seu sangue transfundido.


O sangue tem validade? Pode ser congelado?

Os hemocomponentes atualmente produzidos no Hemosc são conservados em soluções anti-coagulantes e preservantes que permitem a seguinte validade: concentrado de hemácias: varia entre 21 e 42 dias; concentrado de plaquetas: 5 dias e o plasma é congelado.


Pode-se ter relações sexuais após a doação?

Não há qualquer contra indicação devido a doação.


Por que os homens podem doar sangue a cada 2 meses e mulheres a cada 3 meses?

Devido a reposição dos estoques de ferro, que nas mulheres é mais demorada devido as perdas durante os ciclos menstruais.


Por que pessoas com Diabetes não podem doar sangue?

Essas pessoas, dependentes ou não da insulina, não podem doar sangue porque tem maior probabilidade de apresentar alterações do sistema cardiovascular que podem levar a complicações durante a doação de sangue.


Por que pessoas com menos de 50 kg não podem doar sangue?

O volume a ser doado é proporcional ao peso do doador. Para homens é de 9ml/kg e para mulheres, 8 ml/kg. O anticoagulante presente na bolsa de doação liga-se ao sangue impedindo que esse coagule. O volume de anti-coagulante da bolsa (63 ml) é padronizado para um mínimo de 400 ml de sangue, logo uma pessoa com peso menor que 50kg não poderia doar o volume mínimo, pois sobraria anti-coagulante.


Por que só se pode doar sangue quando se teve Hepatite antes dos 11 anos de idade?

Porque antes dos 11 anos de idade a probabilidade de que o candidato tenha tido Hepatite do tipo A é de quase 100%, fato este já confirmado em estudos epidemiológicos. Como a Hepatite A não deixa partículas virais ou vírus circulantes após a cura, não há contra-indicação em doar sangue.


Porque devo doar?

Diariamente muitas pessoas sofrem acidentes ou estão internadas por diferentes doenças e necessitam de transfusões sanguíneas. O sangue humano é fracionado no seus diversos componentes ou é processado nos seus diversos produtos e serve a vários pacientes e em muitas situações ele é imprescindível, não podendo ser substituído por outro produto. É um produto que não pode ser comprado e, portanto, depende da solidariedade das pessoas. Além disso, o sangue humano tem tipos diferentes e os hemocomponentes têm validade definida, sendo que num dia podemos tê-los e no outro, não.


Quais as viagens são consideradas área de risco? ( Situação Tempo de inaptidão)

1 - Chikungunya (Caribe, alguns Países da África, Ásia, Oceania, América e Europa, apenas França e Itália) - Apto 30 dias após retorno de áreas com transmissão sustentada (após vinda/retorno de área endêmicas ou com epidemias confirmadas, nacionais ou internacionais).

2 - Doença de Chagas - Contato domiciliar com triatomíneo: inaptidão definitiva.

3 - Área com registro de doença de Creutzfeldt-Jakob - Inaptidão definitiva para pessoas que tenham permanecido no Reino Unido e/ou República da Irlanda por mais de três meses, consecutivos ou intermitentes, de forma cumulativa, de 1º de janeiro de 1980 a 31 de dezembro de 1996 ou que tenham permanecido por 5 ou mais anos, consecutivos ou intermitentes, de forma cumulativa, na Europa após 1980 até os dias atuais.

4 - Surtos de malária - Em casos de surtos de malária a decisão quanto aos critérios de inaptidão deve ser tomada após avaliação conjunta com a autoridade sanitária competente.

5 - Viagem para área endêmica de malária - De acordo com o Índice Parasitológico Anual (IPA) os estados considerados endêmicos de malária são: AC, AM, AP, ES, MA, MT, PA, RJ,RO, RR, SP e TO. Salientamos que nem todos os municípios destes estados impedem a doação, mas por serem muitos, não dispomos dessa informação aqui, sugerimos que nos questionem através de contato via e-mail ou telefone. Assim, os doadores provenientes de municípios listados deverão ser considerados inaptos para doação por 12 meses após o retorno.

6 - Vírus do Oeste do Nilo - Apto 30 dias após vinda/retorno de áreas endêmicas ou com epidemias confirmadas, nacionais ou internacionais (EUA, para consultar outros países acessar Organização Mundial da Saúde).

7 - Mosquito Aedes aegypti - serão inaptos por 30 dias os candidatos à doação oriundos dos seguintes estados:

- Dengue: Goiás e Tocantins
- Febre de chikungunya: Ceará
- Febre pelo vírus Zika: nenhum estado brasileiro atualmente
- Febre Amarela: Minas Gerais e Espírito Santo.

Lembramos que estes estados são atualizados por boletins epidemiológicos semanalmente, podendo constar numa semana e não mais em outra, dúvidas entrar em contato através do fale conosco.


Quais são as etapas para doação de sangue? Quanto tempo leva?

O processo de doação de sangue engloba as seguintes etapas:

a) Cadastro de informações sobre o doador, como endereço, telefone, etc.;
b) Pré-triagem ( verificação da pressão arterial, pulso, temperatura corporal, peso e altura do doador e realização de teste para verificar se o mesmo tem o ou não anemia;
c) Triagem clínica: ocasião em que o doador responde algumas perguntas sobre a sua saúde atual, pregressa e sobre os seus hábitos de vida com o objetivo de verificar se a doação poderá trazer algum prejuízo para o doador ou para quem irá recebe o sangue. Na triagem clínica o doador também assina um termo de consentimento, autorizando a doação e garantindo que todas as informações prestadas por ele durante a entrevista, são verdadeiras.
d) Auto-exclusão confidencial: recurso que o doador pode utilizar para solicitar anonimamente que sejam feitos os exames, mas que o sangue doado não seja utilizado no tratamento das pessoas. Deve ser utilizado quando o doador, por motivos pessoais omite alguma informação durante a entrevista;
e) Coleta de sangue: ocasião em que o doador doa cerca de 450 ml de sangue + 50 ml (para realização de exames);
f) Lanche.
O tempo médio de todo esse processo de doação de sangue é de até 55 minutos.


Quais vacinas impedem a doação?

O tempo pode variar de acordo com a vacina, geralmente 48 horas (Vacinas de vírus ou bactérias inativados, toxoides ou recombinantes), no caso de Difteria, Hepatite A e B recombinante, HPV, Influenza e Tétano entre outras,
4 semanas para (Vacinas de vírus ou bactérias vivos e atenuados), no caso de BCG, Dupla viral (Sarampo e Rubéola), Caxumba, Febre Amarela, Pólio oral (Sabin), Tríplice (Caxumba,Sarampo e Rubéola) entre outras,
12 meses vacina Anti-rábica após exposição ao animal.

A vacina da gripe (Influenza ou H1N1), pode variar de 48 horas a 4 semanas, vai depender do tipo de cepa utilizada na vacina na campanha anual, este ano a inaptidão é de 48 horas.


Qual o conceito atual de “grupo de risco”?

Na realidade o termo mais adequado seria “situação de risco”, ou seja, o comportamento do indivíduo faria com que ele ficasse mais exposto ao risco de adquirir uma determinada doença ou infecção.


Qual o intervalo das doações?

O intervalo para homens é de 60 dias e para mulheres é 90 dias. Entretanto, recomenda-se que o homem doe até 4 vezes e a mulher até 3 vezes nos últimos 12 meses.


Qual o período sem doar para quem visitou uma região endêmica de malária?

Se visitou a AC, AM, AP, ES, MA, MT, PA, RJ,RO, RR, SP e TO, mesmo que por poucos dias, inapto por 12 meses. Isso porque não é feito teste sensível e específico para identificar o candidato infectado pela malária. O indivíduo pode estar infectado e não ter sintomas.


Qual o tempo que o organismo leva para repor o sangue doado?

Os glóbulos vermelhos se recuperam de 2 a 3 semanas após a doação. Os estoques de ferro em 60 dias nos homens e 60 a 90 dias nas mulheres em idade fértil.


Qual o tipo de Hepatite mais comum?

A Hepatite A. Encontramos anticorpos contra Hepatite A, que são indicativos de contato prévio por este agente, em cerce de 85% da população brasileira.


Qual será a reação da pessoa que ingerir bebida alcoólica após a doação?

Após a doação há uma diminuição do volume sanguíneo circulante. O álcool é um agente desidratante, portanto, mais líquidos sairão da circulação sanguínea. As reações serão aquelas decorrentes de uma diminuição da parte líquida do sangue, caracterizado por fraqueza, queda da pressão, tonturas, secura na boca...


Qualquer “grau” de anemia impede a doação? Por que?

Não, só não pode doar se a pessoa que apresentar hematócrito menor que 39% ( ou hemoglobina <13g/dl) no homem e 38% (ou hemoglobina <12,5g/dl) na mulher. Este limite é necessário para não causar prejuízos à saúde do doador e permitir a coleta da quantidade de sangue estipulada como uma unidade para um adulto.


Quando a pessoa tem algum tipo de doença infecciosa, quanto tempo deve aguarda para voltar a doar?

Este intervalo depende de qual foi a doença e do tempo que a pessoa levou para se recuperar. Para infecções comuns, causadas por bactérias e não complicadas, como a amigdalite, otite, sinusite,etc, aguardar pelo menos 15 dias após a cura e/ou término do tratamento. Para gripes, resfriados comuns, infecção urinária sem comprometimento do rim, conjuntivite, o intervalo mínimo é de 7 dias após a cura.


Quanto tempo a pessoa deve aguardar após a realização de uma cirurgia?

Este prazo depende do tamanho (porte) da cirurgia e do tempo necessário para a recuperação do doador. Cirurgias muito extensas (politrauma, abertura da cavidade abdominal,etc.), inaptidão de 1 ano. Outras cirurgias podem variar de 3 a 6 meses.


Quanto tempo depois da realização de uma endoscopia ou colonoscopia a pessoa poderá doar sangue?

O intervalo mínimo necessário é 6 meses.


Quanto tempo leva para o sangue ser processado?

O sangue é processado assim que coletado, preferencialmente em até 6 horas após a doação.


Quanto tempo uma pessoa que recebeu transfusão de sangue deve aguardar para doar? E o parceiro sexual desta pessoa?

É necessário que tanto a pessoa que recebeu sangue quanto o seu parceiro sexual aguardem pelo menos 1 ano após a data da última transfusão para doarem sangue.


Quem fuma maconha pode doar sangue?

Pode desde que o último consumo tenha sido superior a 12 horas.


Quem não pode doar sangue?

Quando se realiza a triagem clínica para definir quem pode ou não pode doar sangue, considerando sempre o doador e o receptor. Desta forma, não devem doar sangue todas aquelas pessoas que possam apresentar alguma consequência da doação para sua saúde como exemplo: pessoas anêmicas, com doenças cardíacas, com peso inferior a 50 kg, mulheres grávidas ou lactantes. Também estão impedidas de doar sangue, todas as pessoas cujo sangue possa provocar alguma consequência no receptor, como exemplo, pessoas expostas a risco acrescido de terem doenças passíveis de transmissão sanguínea como Hepatites, HIV, Sífilis (que possuam parceiros múltiplos, usuários de drogas injetáveis e seus parceiros sexuais), pessoas em uso de medicamentos que possam provocar consequências em fetos de mulheres grávidas como Isotretinoina (medicamento para acne), Etretinate e Acitretina ( para psoríase) e finasterida ( para doença de próstata ou para calvicie), assim como qualquer pessoa que não esteja em sua perfeita condição de saúde. Todos os candidatos passarão por uma triagem clínica antes da doação para serem avaliadas suas condições.


Quem pode doar?

Em princípio, podemos dizer que todos podemos nos candidatar à doação de sangue. Entretanto, nossa aceitação depende do cumprimento da Legislação vigente e de uma série de fatores que levam em conta o risco que aquela doação pode representar para a saúde do próprio candidato e para a saúde do indivíduo que vier a receber o sangue doador.


Quem tem tatuagem ou piercing pode doar sangue?

De acordo com a Portaria do Ministério da Saúde n°158 de 04 de fevereiro de 2016 que determina o Regulamento Técnico para os procedimentos hemoterápico, pessoas que se submeteram a tatuagem ou piercing, deverão saber informar se o local onde este foi feito, possui Alvará válido da Vigilância Sanitária, neste caso a inaptidão à doação será de 6 (seis) meses, caso não saibam informar se o estúdio tem Alvará válido a inaptidão será por 12 (doze) meses após a realização. No caso de possuir piercing de língua, cavidade oral ou região genital, devido ao risco permanente de infecção, poderão candidatar-se a nova doação 12 (doze) meses após a retirada do mesmo.


Sorologia é individual mesmo?

Sim, os testes são realizados individualmente em cada amostra e são repetidos a cada doação.


Sou Comerciante e empresário e gostaria de colaborar com o HEMOSC nas campanhas de Doação de Sangue. Posso conceder descontos, cortesias aos doadores?

De acordo com legislação brasileira (Portaria do Ministério da Saúde nº 158, de 04 de fevereiro de 2016) bem como normas técnicas previstas na RDC 34 de 11 de Junho de 2014 “A doação de sangue deve ser altruísta, voluntária, anônima e não remunerada, direta ou indiretamente.”

Conforme a legislação brasileira, não pode ser concedido nenhum tipo de benefício ao doador de sangue que venha a configurar remuneração, mesmo que indireta, como é o caso de desconto para aquisição de produtos e serviços.

Qualquer motivação às pessoas para incentivar a doação de sangue em troca de qualquer benefício, de qualquer parte ou natureza, leva muitas vezes o candidato à doação a omitir informações relevantes à garantia de sua própria saúde e do futuro receptor do sangue doado, na triagem clínica e pré-doação. Tal fato, compromete por si só, a segurança transfusional que buscamos incessantemente.


Vacina anti-RH impede a doação?

O que é dito vacina anti-RH não se constitui em vacina e sim soro hiperimune. Impede a doação por 1 ano.



 
Facebook Hemosc